Elvas - Rainha da Fronteira

Visita cultural e gastronómica
2017-01-28 (Sábado)



Depois de um magnifico fim de semana por terras do Alentejo,

já há fotos da nossa atividade cultural e gastronómica pela cidade de Elvas.

O álbum do José Branco Carvalho em https://goo.gl/photos/VjJ1fX5hboCL5Wee6 

As fotos da Ana Tique em https://goo.gl/photos/QU6U3rTXoG87dXQS9 

 

 

 

 

Elvas é uma cidade raiana portuguesa situada no distrito de Portalegre, do qual é a maior cidade.

Às portas de Espanha, distando apenas 8 km (em linha recta) da cidade de Badajoz, Elvas foi a mais importante praça-forte da fronteira portuguesa, a cidade mais fortificada da Europa, tendo sido por isso cognominada ‘Rainha da Fronteira’.

Elvas alberga o maior conjunto de fortificações abaluartadas do mundo, as muralhas de Elvas, as quais, em conjunto com o centro histórico da cidade, são Património Mundial da Humanidade, título atribuído pela UNESCO a 30 de junho de 2012. Nessa inscrição estão incluídos o Aqueduto da Amoreira, os fortes da Graça e de Santa Luzia, os fortins de São Domingos ou da Piedade, São Pedro e São Mamede, e todo o centro histórico com as cercas medievais e os restantes edifícios militares da antiga praça-forte de Elvas.

Os Godos e os Celtas terão sido os primeiros povoadoresdesta autêntica ‘cidade-fortaleza’, que hoje se estende para além das suas muralhas em forma de estrela.

Os romanos deram-lhe o nome ‘Helvas’. Em 714, os Árabes conquistaram-na, deixando tantas marcas da sua presença, que algumas ainda perduram até aos nossos dias.

No reinado de D. Afonso Henriques, mais precisamente em 1166, Elvas foi conquistada aos Mouros pela primeira vez. Posteriormente foi reconquistada pelos muçulmanos e reconquistada de novo pela cristandade, sendo integrada definitivamente em território português por D. Sancho II, em 1229.

A 14 de janeiro de 1659, as suas linhas de muralhas e os fortes de Santa Luzia e da Graça tiveram um papel defensivo importante no desfecho da Guerra da Restauração, na Batalha das Linhas de Elvas.

E é pelo Forte da Graça, reaberto em fins de 2015 após prolongadas obras, que começaremos a nossa visita, após o que nos deslocaremos para a parte histórica da cidade, onde procuraremos visitar antes de almoço, o Museu Municipal de Fotografia e a Igreja de S. Domingos.

Após o almoço o nosso objectivo é visitar o centro histórico e algumas das suas principais atracções tais como o Castelo, o Cemitério dos Ingleses, a Catedral, a Igreja de S. Francisco, a Igreja de Nª Sra da Assunção, etc

Como tanta cultura despertará com certeza o apetite nos companheiros, está previsto um almoço no Restaurante ‘A Coluna’ e, antes de regressarmos a Lisboa, um lanche no ‘O Espalha Brasas’ em Orada.

Características da actividade: Urbana, com muita cultura, comida e bebida q.b.

Recomendações: Apetite cultural e gastronómico e, em função do tempo, proteção para os percursos entre museus.

Partida: 7h00 de Entrecampos (por baixo do viaduto da gare dos comboios)

que reúne as mesma condições que Sete Rios, com metro, estação ferroviária, autocarros, táxis, bem como estacionamento gratuito aos fins de semana..

Chegada prevista para as 21h00.

Participação em viatura própria: Concentração às 10h00 junto ao Forte da Graça.

 

 

O preço inclui transporte, seguro, informação, entradas e visitas guiadas, almoço e lanche.


Preços:
Autocarro 54,00€ Menores de 21 anos 35,00€
Preços:
Viatura própria 40,00€ Menores de 21 anos 30,00€