Serras da Beira Baixa II

“A oeste da Gardunha”
2017-10-21 (Sábado)
Começamos na Foz do Giraldo e acabamos em Ribeira de Eiras,
num percurso em que se tem a sensação de navegar de drone. Estamos na mais elevada serra da Beira Baixa (depois da Estrela e Gardunha). Apesar de se estender por uns vinte quilómetros entre as serras da Gardunha e da Pedragueira, o povo não lhe deu nome, que se fixasse nos mapas. Mas o ponto mais alto (Zibreiro – 1097m), um autêntico vulcão, bem podia denominar a serra (A subida ao cimo é facultativa).

Naturalmente que as vistas são o forte desta atividade: é Espanha, Alto Alentejo, toda a Beira Baixa e só não é Beira Alta, porque a Estrela nos tapa a vista. Destacam-se particularmente as elevações que marginam o rio Zêzere.

A atividade também se recomenda a quem goste de medronhos e queira pôr a conversa em dia.

Características do percurso: Os quilómetros são 14,5 mas há neutralização ao quinto na povoação de Ingarnal.

Desnível inicial de subida à cumeada de 200m e descida no final de 300m. O percurso é todo feito por caminhos rurais e na cumeada, pelos largos

acessos aos geradores eólicos.

Recomendações: bastão, binóculos, farnel e vestuário apropriado às condições meteorológicas do dia.

Cartografia: Folhas 255 e 267 da Carta Militar de Portugal, na escala 1/25000 do IGE.

Partida: Às 7h00 de Entrecampos. A chegada está prevista para as 21h00.

Participação em viatura própria: Não se recomenda a participação em viatura própria; para mais informações, consultar a secretaria do Clube.

O preço inclui o transporte, o seguro, o mapa e a informação.