Caminhos de Fátima by CAAL – Etapa 6

De Azóia à Milhariça
2018-02-24 (Sábado)

Também este ano vamos começar no local onde terminámos a etapa anterior, ou seja, em Azóia de Baixo, conhecida por ter sido o lugar para onde o escritor português Alexandre Herculano se retirou, após o seu casamento com Mariana Hermínia de Meira em 1867, e onde acabou por falecer 10 anos mais tarde na sua Quinta de Vale de Lobos, localizada nos arredores desta povoação.

Nunca é demais referir que o projeto ‘Caminhos de Fátima’ pretende fazer o percurso Lisboa - Fátima seguindo o trajeto ‘oficial’ (Caminho do Rio) mas, sempre que tal se justifique (leia-se, o percurso não tenha interesse ou segue por asfalto), encontrar uma alternativa mais agradável que nos leve ao nosso destino final.  

Vamos passar por campos de cultivo e por um local de criação de avestruzes antes de, por um belo trilho escondido, chegarmos à aldeia esquecida de Dona Belida.

Seguimos sempre com o panorama dos campos cultivados e, após apanharmos mais um pequeno troço do ‘Caminho de Fátima’ oficial, chegamos à simpática aldeia de Advagar onde, no largo da capela, vamos encontrar o restaurante Panturras, uma das pérolas escondidas do nosso país.

Aqui paramos para um almoço bem retemperador que faz honras ao nome da casa, almoço esse que incluirá os pratos do dia, pão, bebida, sobremesas e café.

Depois acompanhamos, por um breve troço, o ‘Caminho de Fátima’ antes de nos embrenharmos, de novo, por trilhos que atravessam culturas e nos dão a possibilidade de ter uma bela perspectiva panorâmica da região que estamos a percorrer.

Mais à frente, depois de atravessamos a aldeia de Santos seguimos em busca das ruínas dos moinhos do Guedes onde entramos num belo trilho que, após uma espectacular descida, nos vai levar até Arneiro ou Casais das Milhariças, onde vai terminar mais uma etapa deste projeto.

 

Características do percurso: Tem cerca de 15,5 km de extensão, maioritariamente por caminhos rurais, caminhos de pé posto e alguns estradões em terreno ondulado, com alguns desníveis a vencer. Possibilidade de neutralização em Advagar, a cerca de 9,2 km do início.

 

Cartografia: Folhas 340 e 352 da Carta Militar de Portugal, na escala 1/25000.

 

Recomendações: Levar água. Não é necessário levar farnel porque iremos almoçar em Advagar. Recomenda-se o uso de botas de montanha e, eventualmente, de bastões.

 

Partida: Às 08h00 de Entrecampos. A chegada está prevista para as 20h30.

 

Participação em viatura própria: Concentração às 09h15 em Azóia de Baixo no restaurante ‘O Cantinho do Avô’, que fica na estrada que atravessa esta povoação.

 

O preço inclui o reconhecimento da atividade, o seguro, o mapa, a informação e o almoço em Advagar.

MIDE – meio 1; itinerário 1; deslocação 2; esforço 3


Preços:
autocarro 31,00€ menores de 21 anos 19,00€
Preços:
viatura própria 20,00€ menores de 21 anos 11,00€