Alcochete

Pelo estuário do Tejo, a pé e de bote tradicional
2020-10-16 (Sexta-feira)



Já há fotos deste dia magnífico!

O álbum do José Silva em https://photos.app.goo.gl/mGKvUT7tD4VQcidi9 

As fotos do Juanfe Carrasco em https://www.dropbox.com/sh/j0coulkqy45f4bm/AAB1zhZXqg4-qeBiybA8nlkca?dl=0

 

 

 

 

 






O início do Outono é uma época favorável...para partir à descoberta do estuário do Tejo, dada a grande quantidade e variedade de aves que se podem facilmente observar nesta altura do ano.

Esta actividade do CAAL pretende fazê-lo de duas formas bem distintas: a pé - num panorâmico percurso ao longo da margem do rio - e à vela, num passeio fluvial pela área protegida a bordo do bote Leão, propriedade da Câmara Municipal do Alcochete, réplica exacta de uma famosa embarcação tradicional homónima, que assegurava a ligação regular a Lisboa no tempo dos nossos bisavós.

O percurso pedestre será inteiramente ribeirinho, partindo do centro da vila rumo a oeste através de um território marcado pela abundância de contradições. Rapidamente se sucedem modernas unidades turísticas de luxo e antigas unidades fabris arruinadas, espaços de inestimável valor ambiental e espaços carentes de requalificação, zonas com forte presença humana e zonas do maior sossego. Omnipresentes são as soberbas vistas de 180º sobre a metrópole de Lisboa e a vastidão do estuário.
Caminharemos ao longo da Praia dos Moinhos, areal virado ao norte (uma raridade em Portugal), e portanto local privilegiado para a moagem pré-industrial. Os belos moinhos oitocentistas ainda lá estão, e tornaram-se num símbolo de Alcochete, mas a praia nos dias de hoje é sobretudo conhecida pela presença dos entusiastas de kitesurf e de windsurf, que não hesitam em enfrentar as pouco convidativas águas pardas do rio, para tirar partido da excecional exposição aos ventos dominantes. O nosso objectivo são as antigas salinas, outrora um dos maiores centros de produção de sal de mesa do país.

Como é sabido, no âmbito do contrato de construção da ponte Vasco da Gama, essas explorações - que se encontravam em condições mais ou menos acentuadas de decadência - foram expropriadas pelo estado e emparceladas numa única e enorme propriedade (mais de 360 hectares!), a qual foi entregue a uma fundação público-privada que aí gere um negócio de turismo ambiental.

Vamos percorrer o respectivo perímetro exterior, ao longo de um ‘corredor’ que separa o Tejo do latifúndio da Lusoponte, rumo ao cais do Samouco, passando no vértice geodésico da Morraça - provavelmente o marco geodésico menos proeminente de Portugal... - e caminhando sob a grande ponte, numa rota que, salvo melhor informação, o Clube já não faz vai para 15 anos.
Podemos garantir que na semana passada era possível apreciar a presença de uma grande quantidade de aves, incluindo os emblemáticos flamingos e alguns pernilongos. Noutro registo, mais questionável mas de inegável interesse sociológico, poderemos também testemunhar a actividade dos mariscadores do Tejo, na sua labuta diária de contornos terceiro-mundistas, nos dias de hoje desempenhada essencialmente por membros da crescente comunidade nepalesa.
De regresso a Alcochete haverá tempo para poder almoçar livremente, num dos inúmeros restaurantes do centro da vila, antes do embarque no bote Leão, no âmbito de um dos seus passeios fluviais regulares - mais informação em - https://www.cm-alcochete.pt/pages/914 .
Características da actividade: Percurso totalmente plano com cerca de10km, do tipo ir/vir (o que neste caso não é repetitivo, dada a grande mudança cíclica da paisagem, ao ritmo das marés. Algumas secções com piso arenoso. Haverá paragens para observação da avifauna, quando for oportuno.
Recomenda-se o uso de calçado ‘outdoor’ relativamente ligeiro, camada de vestuário corta-vento para o bote (uma embarcação de boca aberta) e binóculos.
Ponto de encontro: Em Alcochete, junto à ribeirinha igreja da Misericórdia (início do pontão do cais fluvial) pelas 09h00.
Comparticipação nos custos: Adultos – federados (portadores de seguro válido) = 12.50€ / sem seguro = 13.50€; Seniores (maiores de 65 anos) – 10.00€ / 11.00€.
O preço inclui o passeio de bote no estuário do Tejo.

A ter em conta – A operação do bote implica condições meteorológicas compatíveis (nem vento a mais, nem ausência de vento), pelo que a realização do passeio não pode ser considerada como um dado adquirido, e só pode ser confirmada no próprio dia, perto da hora prevista da partida. Na eventual impossibilidade da sua realização será proposta uma visita ao centro ambiental da Reserva Natural do Estuário do Tejo, no Sítio das Hortas, na periferia oriental de Alcochete, sendo devolvido aos participantes o custo do passeio de barco.
Imprescindível a inscrição prévia na secretaria do Clube