Gerês Selvagem e Encantado

Aventura por Trilhos de Terras de Bouro
2015-07-10 - 2015-07-12 (Sexta-feira - Domingo)



Bela atividade e um excelente grupo de participantes!

Foi um passeio muito bonito e muito bem organizado...um grupo muito bom... fim de semana espetacular. 

Um grande fim semana 10, 11 e 12 de julho de 2015, com muito sol, uma excelente atividade "Gerês Selvagem e Encantado Aventura por Trilhos de Terras de Bouro". Muitos parabéns aos organizadores, um abraço para todos os participantes...

As fotos sempre fantásticas do José Branco Carvalho em https://plus.google.com/photos/107187910970279952749/albums/6170994739408579665?authkey=CNCJke2ci-W5ggE 

As fotos da Dina Costa em https://plus.google.com/photos/115245598051417870845/albums/6171107520739908641  

Os bonecos do Álvaro Lourenço em https://plus.google.com/u/0/photos/110474945247713864631/albums/6171174050593860641?cfem=1 

Olha as fotos da Ana Tique em https://plus.google.com/photos/100877183630065216571/albums/6173569064986506257?authkey=COqXs6fk7e-V3gE 





“Deixa que eu te descubra, anónima paisagem,

Corpo de virgem que eu não amo ainda!

Fauno das fragas e dos horizontes,

Sonho contigo sem te conhecer...

Sonho contigo nua, a pertencer

Ao silêncio devasso e à solidão!

Num pesadelo, vejo amanhecer

O sol e o vento no teu coração!

E é um ciúme de Otelo que me rói!

Só eu não posso acarinhar a sombra

Do teu rosto velado!

Só eu vivo afastado

Dos teus encantos!

E são tantos

E tais!

Que eu não posso, paisagem,

Esperar mais!”

                                   Miguel Torga, Diário V

 

O CAAL convida todos os sócios a embarcarem numa aventura por trilhos encantados de Terras do Bouro e Serra do Gerês, entre paisagens deslumbrantes e uma História cultural incontornável.

Situado no Alto Noroeste de Portugal, na fronteira com Espanha, cobrindo uma área de 72.000 hectares, o P.N.P.G. engloba as serras do Gerês, Soajo, Amarela e Peneda e os planaltos da Mourela e de Castro Laboreiro. Atravessado por inúmeras linhas de água, localizado no Maciço Ibérico, constitui uma área essencialmente granítica, com algumas faixas de xisto. Neste parque vamo-nos deslumbrar com paisagens de suster a respiração, por entre serras voluptuosas, planaltos imponentes, vales férteis, coloridos, barragens transbordantes, cascatas e uma fauna e flora únicas e multifacetadas.

A flora do Parque é majestosa e luxuriante, sendo as suas espécies características o carvalho, o medronheiro, o azevinho, o pinheiro e diversas espécies de arbustos como urzes e giestas, bem como espécies apenas encontradas na zona do Gerês (o lírio-do-gerês, o feto-do-gerês e o hipericão-do-gerês).

Neste ambiente único, a presença proeminente da água e da floresta, propiciam o desenvolvimento de fauna que aqui encontra o seu habitat, também ela, abundante e ímpar. Entre tantas outras, na área do Parque Nacional encontram-se o javali, o veado, o texugo, a lontra, a marta, o esquilo, o lobo, o corço, a águia-real, o falcão, a víbora negra, a cobra-d’água, o lagarto d’água, a salamandra, entre tantos outros.

A par de toda a beleza natural, é igualmente uma zona de tradições e costumes, remontando os primeiros vestígios de civilização ao período neolítico, com pequenas aldeias que sabiamente resistiram ao passar do tempo, encontrando-se importantes vestígios arqueológicos de eras distantes (como o troço da via Romana Braga-Astorga, na Mata da Albergaria), e um espírito comunitário muito próprio, subsistindo mormente através da agricultura, da pastorícia e da pecuária.

Na vertente cultural, o Parque oferece igualmente o Museu Etnográfico de Vilarinho das Furnas, edificado em 1981 pela Câmara de Terras de Bouro, recriando o lugar que foi submerso pelas águas da albufeira, no rio Homem, aquando da inauguração da barragem, em 21 de maio de 1972.

A aldeia de Vilarinho das Furnas foi um lugar da freguesia de Campo de Gerês, situada na zona nordeste do concelho de Terras de Bouro. Foi submersa, no início de 1971, e com ela uma grande riqueza etnográfica associada às actividades agro-silvo-pastoris, vivências e espírito comunitário do seu povo, das habitações e outras histórias do passado.

Reportando-nos ao século I dC, a Geira "é um verdadeiro museu ao ar livre, ou seja, um espaço histórico sem paredes, através do qual os viandantes retomam um percurso usado ao longo de milénios " (Sande Lemos, Arqueólogo). Conhecida igualmente por Via Nova, foi construída pelos romanos com o intuito de ligar Braga (Bracara Agusta) a Astorga (Asturica Augusta). Em Terras de Bouro percorre o concelho numa extensão de 30km, possuindo a maior concentração de marcos miliários epigrafados do noroeste peninsular.

A ‘Via Nova XVIII’ que, no concelho de Terras de Bouro parte do lugar de Sta. Cruz (Souto), na milha XIV, e termina na fronteira da Portela do Homem (Campo do Gerês), milha XXXIV, constitui um monumento excepcional, pelo seu património científico, cultural, pedagógico e turístico. A possibilidade de percorrer o caminho romano ao longo de 30km, quase sem interrupções, com extensos troços de calçada, a quantidade invulgar de miliários, as ruínas de pontes sobre rios caudalosos, as pedreiras de onde se extraíam os miliários, a visibilidade da via para a envolvente, o contexto paisagístico em que se insere, constituem uma experiência inesquecível.

Características dos percursos:

Dia 11 de junho: Percurso circular, com saída da Pousada de Juventude de Vilarinho das Furnas, passagem por Campo de Gerês, Junceda, Curral, em direcção a Pé de Cabril (1236m de elevação) e com regresso por trilho que intercepta via romana e contorna a Barragem e a Fraga do Sarilhão

Troço com cerca de 16km,  300m de desnível,  sem neutralização.

Por caminhos encantados, no Selvagem Gerês, poderemos usufruir de belas paisagens de suster a respiração, por entre serras voluptuosas, com algumas faixas de xisto.

Planaltos imponentes, vales férteis, coloridos, cascatas e uma fauna e flora únicas e multifacetadas.

No fim do dia terá lugar um jantar de convívio em Covide...

Dia 12 de julho: Percurso com início em Chorense (junto à Capela de São Sebastião) e final junto à Capela da Nossa Senhora do Fastio. Troço com cerca de 11km, linear, sem desníveis e sem neutralização. Por entre bosques verdejantes e linhas de água, com vista para o vale, aqui teremos um percurso para relaxar do dia anterior, onde podemos apreciar a outra ‘faceta’ do Gêres.

Cartografia: Folhas 30 e 43 da Carta Militar de Portugal, na escala 1/25000 do IGEO.

Recomendações: Botas, 2 litros de água no mínimo, farnel, protector solar, chapéu e roupa ligeira.

Alojamento: Na Pousada da Juventude de Vilarinho das Furnas

Partida: Dia 10 de junho, sexta, às 19h00, de Sete Rios.

Participação em viatura própria: Ponto de encontro às 9h00 de sábado, junto à Pousada da Juventude de Vilarinho das Furnas.

O preço inclui o transporte,  2 noites de alojamento, o seguro, o mapa e a informação, assim como o jantar de convívio.

É indispensável a inscrição prévia no Clube. 


Preços:
Autocarro: 94,00 € Menores de 21: 56,00€
Preços:
Viatura própria: 63,00€ Menores de 21: 48,00€