Parque Natural da Serra de Aracena e Picos de Aroche

O outono nos bosques de castanheiros e carvalhos
2016-11-12 - 2016-11-13 (Sábado - Domingo)

Já começam a chegar as fotos desta grande actividade!

"Foram dois dias de magnificas caminhadas por belos trilhos, cores outonais e com uma temperatura primaveril em pleno outono" 

O álbum do José Branco Carvalho em  https://goo.gl/photos/PfWLijsTpz5JLSo4A

Vejam as fotos do António Matos AQUI 

As fotos lindas da Ana Tique em  https://goo.gl/photos/2cLu78vscdQ1kVv8A 



 

Sábado, dia 12: Cortelazor - Valdelarco – Área Recreativa El Talenque

Características do percurso (cerca de 13km):


Estamos em Cortelazor (624m) que, segundo conta a lenda, deve o seu nome à ‘Corte do Rei Azor’, cabecilha árabe que se tornou independente no tempo dos reinos de taifas; merece a pena destacar o grandioso ulmeirosituado na Praça Manuel Sanchez, debaixo de cujos ramos se reunia o Concelho Municipal e que se julga ter mais de 800 anos.


Saímos da povoação por um cómodo caminho, que se converte em trilho na pronunciada descida até ao barranco do Dum-Dum. Este riacho atravessar-se-á sem ponte, sentindo a falta das refrescantes zonas de banho com poças e cascatas presentes durante o quente Verão.


Deixamos o bosque da ribeira com espécies não habituais destas latitudes, como o sanguinheiro (Frangula alnus), e iniciamos uma pronunciada subida acompanhados de magníficos exemplares de sobreiros.


Antes de chegar a Valdelarco fica o cruzamento para o Barranco del Pueblo, à esquerda, pelo qual transitaremos em muitos sítios junto às suas águas, até chegar à área recreativa El Talenque; mas não sem antes visitar a povoação de Valdelarco, à qual as suas encostas empinadas impedem aceder com autocarro, mas que merece a pena conhecer.


Valdelarco (623m) deve a sua origem às repovoações cristãs do século XIII por galegos e leoneses, após ter sido superada a presença da reconquista portuguesa.


No fim do dia espera-nos um especialíssimo jantar de porco preto, típico da região.


 

Domingo, dia 13: Castaño del Robledo - Peña de Arias Montano - Castaño del Robledo (subida opcional ao pico del Castaño)

Castaño del Robledo é uma pequena povoação fundada no século XVI. Deve o seu nome à árvore mais frequente e de maior interesse económico, assim como ao antigo bosque original da zona (carvalhal). Os seus principais edifícios são a Igreja de Santiago Mayor e uma monumental Igreja, inacabada até à década de 90 do século passado (começada no séc. XVI), que sobressai entre as antigas casas da povoação.

Pretende-se  alcançar a penha de Arias Montano, no município de Alajar, onde se encontra aermida de Nuestra Sra. De los Angeles. Não poderemos partir sem visitar a gruta com travertinos, rocha sedimentar de beleza única e intemporal,  onde viveu o eremita que dá nome à penha, e que foi conselheiro do Rei FelipeII.

Também passaremos pela povoação neo-rural de Calabacino.

 

Características do percurso (cerca de 12km):


Este percurso circular localiza-se em Castaño del Robledo, na zona centro-sul do Parque Natural Serra de Aracena e Picos de Aroche. Trata-se de um caminho entre velhos bosques de castanheiros muito bem conservados, com algumas matas de carvalhal (carvalho-negral) original, de grande encanto, principalmente durante o outono, devido aos seus contrastes cromáticos.


O itinerário realiza-se em grande parte dentro dum bosque no qual predominam castanheiros acompanhados por carvalho-cerquinho, carvalho-negral e matagais de grande beleza. 

 

Os velhos castanheiros circundantes proporcionam excelentes refúgios a uma ampla variedade de espécies. Boa parte das espécies nocturnas, tais como mochos-galegoscorujascoruja-do-mato, mocho-d´orelhas assim como diversos mamíferos (raposas, ginetes, gato bravo, doninha, foina),encontram refúgio adequado nos seus troncos ocos.


A escassez de matagal, devida aos trabalhos de manutenção para o melhoramento das colheitas, limita a diversidade potencial de espécies nos castanhais. Não obstante, é relativamente frequente encontrar espécies insectívoras como o melro, toutinegras, poupas, etc.


Se decidirmos subir ao topo do Castaño (962m), localizaremos um dos carvalhais de carvalho-negral (Querqus Pyrenaica) melhor conservados destas serras, juntamente com outras espécies interessantes. Observaremos também aproveitamentos orientados principalmente para a apanha da castanha e manutenção de efectivos pecuários especialmente de porcos, assim como para a comercialização dos seus produtos. Paisagem rural muito bem conservada.


A vegetação, ao longo do caminho, compõe-se também de sobreiros e oliveiras, acompanhados de um matagal de silvas, tojo, sargaço, urze,trovisco, medronheiros, hortelã e fetos. Nas proximidades de ribeiros ou linhas de água, poder-se-á apreciar um bosque de galeria de choupos e álamos.


Recomendações: Usar botas, roupa de agasalho e impermeável, água, farnel e… binóculos.


Alojamento: O alojamento será na bela Vila de Almonaster, em quartos duplos, com pequeno almoço.


Partida: Às 6h45 de Sete Rios.


Dadas as características específicas desta actividade, não é possível participar em viatura própria.


O preço inclui o transporte, o alojamento com pequeno almoço, o jantar típico da região, o seguro, o mapa, a informação, assim como um guia da natureza especializado. 


Preços:
Autocarro 85,00€ Menores 21 anos 60,00€