Terras da Beira

Percursos Arqueológicos em Terras Beirãs
2019-06-01 - 2019-06-02 (Sábado - Domingo)
NOVO PREÇO (Redução)
A atividade deste fim de semana terá lugar em terras da Beira Alta, pertencentes aos Concelhos de Fornos de Algodres e de Aguiar da Beira, e permitir-nos-á conhecer alguns aspetos paisagísticos, culturais e arqueológicos desta região.

Percorreremos antigos caminhos rurais que atravessam zonas onde a paisagem, essencialmente granítica, sofreu pouco a ação antrópica e onde ainda persistem atividades como a agricultura de subsistência e o pastoreio, sendo possível ver rebanhos guardados pelo famoso cão Serra da Estrela.
Durante os percursos atravessaremos algumas aldeias que mantêm a traça original, nomeadamente as suas características casas em pedra granítica, e que possuem edificado histórico, como a igreja, os fontanários e os pelourinhos.
A região foi habitada desde tempos muito remotos, como o comprovam os 3 dólmens do período Neolítico, pelos quais iremos passar durante as nossas caminhadas, e o Museu Arqueológico de Fornos de Algodres, que iremos visitar com um guia.
E, como a vertente cultural é igualmente importante, teremos ainda a oportunidade de ver atuar o Rancho Folclórico de Figueiró da Granja, a freguesia mais importante do Concelho de Fornos de Algodres.
Sábado, 1 de junho:
Chegados à vila de Fornos de Algodres, e para nos inteirarmos do rico património deste concelho, começaremos por visitar o seu Museu Arqueológico numa visita guiada.
Após o almoço, o autocarro levar-nos-á à povoação de Algodres, antiga sede do concelho.
Aqui iniciaremos a nossa caminhada circular, começando por apreciar as antigas casas senhoriais, a cadeia, o pelourinho e a igreja, que tem um quadro do pintor Grão Vasco.
Seguiremos depois por pinhais até à ‘Orca de Cortiçô’ (necrópole do Neolítico), de onde prosseguiremos rumo às Forcadas, um pequeno povoado hoje quase sem habitantes e que reúne uma considerável concentração de sepulturas escavadas na rocha de Idade Medieval.
Continuaremos até à Matança, uma grande aldeia que possui duas pontes romanas e um pelourinho, e um pouco mais à frente chegaremos a um outro dólmen ou anta, a ‘Orca da Matança’, outra necrópole do Neolítico.
Daqui rumaremos de novo a Algodres, onde finalizaremos a nossa atividade pedestre.
O percurso é circular, tem cerca de 14km e não apresenta desníveis, desenrolando-se num planalto.
Aqui aguarda-nos o autocarro, que nos levará que nos levará à Residência de Estudantes, onde iremos jantar e pernoitar, em camaratas.

Domingo, 2 de junho:
Neste segundo dia faremos um percurso igualmente circular, com aproximadamente 15km, que terá início e terminará na povoação de Carapito.
O percurso, sem grandes desníveis, realiza-se por bonitos caminhos rurais que atravessam prados, pinhais e carvalhais, sendo por vezes observados caos de blocos graníticos.

Passaremos em Casal do Monte, Queiriz e Aveleiras, aldeias que, felizmente, não estão ainda muito descaracterizadas e onde poderá haver abastecimento de água.
Atravessaremos uma ribeira na zona mais bucólica do percurso e prosseguiremos através de uma mata cujos caminhos são ladeados por muros atapetados de musgos e líquenes. Próximo do final da caminhada passaremos pela anta de Carapito.

E dado que nos espera uma longa viagem de regresso à capital, só nos despediremos desta simpática povoação e suas gentes após um saboroso lanche ajantarado, com produtos regionais.
Características dos percursos: Os percursos são circulares, sem desníveis consideráveis e terão cerca de 14-15 km cada um.
Cartografia: Folhas 180 (Aldeia Nova), 191 (Celorico da Beira) e 169 (Aguiar da Beira) à escala 1/25.000, do Instituto Cartográfico do Exército.
Alojamento: Em Fornos de Algodres, na Residência de Estudantes (em camaratas), onde também jantamos no sábado e tomamos o pequeno almoço no domingo.
Partida: Às 7h00, impreterivelmente, do dia 1 de junho (sábado) de Entrecampos.
Participação em viatura própria: Frente ao Centro de Interpretação Histórica e Arqueológica (Museu)  às 11h30, em Fornos de Algodres.

O preço inclui, além das despesas inerentes ao reconhecimento, o transporte em autocarro, a informação sobre os percursos pedestres e os aspetos a visitar, a visita ao Museu Arqueológico de Fornos de Algodres. Inclui também o jantar de sábado, a dormida e o pequeno-almoço de domingo (tudo na mesma residência) e o lanche ajantarado de domingo. Os almoços não estão incluídos (deve-se levar farnel e água)
(A atuação do Rancho Folclórico ainda está sujeita a confirmação, pelo que não está incluída no preço.)

Nota: Dado que o programa é bastante ambicioso, pede-se a máxima pontualidade. As caminhadas são circulares, pelo que será possível a participação com viatura própria. Os percursos são curtos e fáceis. É possível a neutralização nas aldeias que vamos atravessar.
Inscreve-te !!!

Preços:
autocarro 66,00€ jovens 29,00€
Preços:
viat própria 34,00€ jovens 20,00€