Caminhos do Oriente — em busca da nascente do Alviela

Alhandra – Monte Gordo – Vila Franca de Xira (5.ª etapa)
2022-01-22 (Sábado)

 


20210417_165239 As fotos do reconhecimento podem ser vistas AQUI

 

20210417_151134  20210509_121933 Retomamos o nosso percurso um pouco atrás, onde a COVID19 nos deixou já em outubro de 2020, reparando, assim, uma pequena batota, que no troço final da 4ª etapa nos tinha levado de Alhandra a Vila Franca de Xira pelas margens do Tejo, e não pelo nosso fio condutor, o canal do Alviela. Como compensação, juntou-se uma subida ao Monte Gordo, 200m acima de Vila Franca de Xira, e com amplas vistas a 360º.

A partida é na estação do caminho de ferro de Alhandra. Atravessamos, primeiro, a histórica vila de Alhandra, com pelourinho e antiga Casa da Câmara, terra do Gineto dos ‘Esteiros’, de Soeiro Pereira Gomes, e do imorredoiro culto ao dr. Sousa Martins, notável médico alhandrense.

Uma vez vencida a linha do Norte, a N10 e a A1, seguimos para norte paralelamente ao Tejo, mas desta vez a meia encosta, num misto de canal do Alviela, de canal de Valada do Tejo e de canal de Castelo de Bode, sempre entre vegetação variada. Chegamos à vista de Vila Franca de Xira pelas alturas (130m) e, depois de vencida uma ‘prova de elegância’, descemos até ao fundo do vale da ribeira de Santa Sofia.

No parque urbano dr. Luís César Pereira retemperaremos forças antes de atacarmos as alturas do Monte Gordo, com passagem pela antiga pedreira, que marcou a paisagem de Vila Franca de Xira. É possível neutralizar o percurso no parque urbano, seguindo diretamente para a estação de Vila Franca de Xira.

Em Vila Franca de Xira, cidade com importante vida cultural, passaremos por interessantes monumentos à tauromaquia e visitaremos algum do acervo museológico, acabando na estação do caminho de ferro - ela própria um monumento -, ao lado do parque municipal ribeirinho.

Características do percurso: Excluindo Alhandra e Vila Franca de Xira, percurso essencialmente extraurbano com um total de 13km (9km com neutralização) e desníveis acumulados de cerca de 460m (260m com neutralização). Alguns desníveis mais acentuados.

Recomendações: Usar bom calçado de marcha, devido aos desníveis e à natureza potencialmente lamacenta de alguns trilhos. A meio do percurso haverá tempo livre para almoço.

Trazer farnel e água é recomendado, pois não há possibilidades de abastecimento fora dos núcleos urbanos.

Cartografia: Folhas 390 e 404 da Carta Militar de Portugal, na escala 1/25000 do IGE.

Ponto de encontro: Estação de caminho de ferro de Alhandra, ao fundo das escadas do lado do edifício da estação, às 10h00.

Atenção: só há um comboio por hora! O último chega à 9h54, para quem vier de Lisboa Oriente.

Inscrição no local do encontro  (10€, incluindo seguro; 9€, para quem tenha seguro).