ESCAROUPIM

A pé e de barco pelas ilhas do Tejo
2022-06-18 (Sábado)
Depois de uma pequena caminhada circular na Mata Nacional do Escaroupim faremos uma visita guiada à Casa Avieira (ver informação em baixo)

1653669594882 

De seguida espera-nos um passeio de barco de uma hora e trinta minutos no Tejo, passando pelas ilhas das Garças, dos Amores, dos Cavalos,…

O preço (20€) inclui o seguro e o passeio de barco.

1653669610657Ponto de encontro: Às 10h00 no Museu dos Avieiros na Escola Primária do Escaroupim (a seguir a Salvaterra de Magos).

Para chegar em viatura própria: Vila Franca de Xira, Porto Alto, Benavente, Salvaterra de Magos.

 

1653669601105A casa dos Avieiros

A partir da segunda metade do séc. XIX inúmeras famílias oriundas de Vieira de Leiria viram-se obrigadas a deslocar-se para as margens do Rio Tejo em busca de um sustento à borda d´água. Este movimento, sendo no início apenas sazonal, levou gradualmente pelo séc. XX adentro à fixação de famílias ao longo das margens do Tejo.

Vivendo entre o barco e a barraca de caniços erguida nas margens, estas populações foram estabelecendo gradativamente aglomerados, surgindo assim as Aldeias Avieiras do Tejo. Pescadores, lenhadores e agricultores, os Avieiros trouxeram consigo as técnicas para a sua adaptação ao meio ambiente em causa.

Adaptaram o barco do mar para o barco do rio e construíram casas palafíticas do mesmo modo que o tinham feito na praia de Vieira de Leiria. Mas enquanto na praia a casa sobre esteios ou prumos permitia o avanço da duna com os ventos, na lezíria do Tejo a palafita construída em madeira e assente em troncos de árvores era a defesa perante as constantes cheias. As casas sobre palafitas, ainda hoje visíveis, qualificam uma forte imagem de identidade arquitetónica à Cultura Avieira, sendo o testemunho de um modo de vida que está em vias de extinção.

A casa, tal como o barco, são as expressões materiais por excelência da Cultura Avieira. 

Hora estimada para o fim da actividade: 13h30