Por Terras de Lafões

Da rudeza do meio serrano à abundância de água dos pequenos vales
2023-05-20 - 2023-05-21 (Sábado - Domingo)

Mais um excelente fim de semana!

Deliciem-se com as fotos do José Branco de Carvalho AQUI e da Ana Tique AQUI 

DSC03052

20230520_152705

DSC03544

20230521_092837

DSC03414 

66d5be72-8455-400e-8f8c-649523ca0ac1 

27e0c111-435e-4e86-9908-5e78b384e6b5

452c5278-137a-48f1-908c-7e370381cd5c 

 

 



Vamos calcorrear as terras de Lafões, com o seu imponente granito e largos horizontes, mancha verdejante associada ao vale do Vouga, encaixada entre os grandiosos maciços graníticos das serras da Gralheira e do Caramulo.

unnamed (8) As fotos do reconhecimento AQUI

Da rudeza do meio serrano à abundância de água dos pequenos vales, da herança pré-histórica, à evolução do meio urbano se fará o roteiro deste fim de semana.

Sábado, dia 20 - Começamos a atividade no cimo do Monte Castelo, junto à ermida construída sobre a antiga fortificação, admirando o panorama que se estende até ao Maciço da Gralheira, Serras da Freita e de Montemuro.

Segue-se a descida para a vila de Vouzela, por trilho antigo.

unnamed (4)

unnamed (1) 

Depois de restabelecidas as forças, percorremos o antigo caminho de ferro da linha do Vale do Vouga, agora transformado em ciclovia. Podemos admirar antigos viadutos do comboio, túneis e apreciar a gastronomia local, bem como visitar a vila. Por fim chegamos às Termas de S. Pedro do Sul, ainda a tempo de as visitar.

Características do percurso: Cerca de 9km, sem dificuldades. À exceção da descida do Monte Castelo, o percurso faz-se pela ciclovia. A referida descida é acentuada, por caminhos de pé posto. Quem quiser pode não fazer a descida, e utilizar o autocarro. Possibilidade de neutralização.

Domingo, dia 21 - Dia dedicado a uma região de invulgar beleza, fazendo uma autêntica visita ao passado, percorrendo trilhos rurais, visitando aldeias antigas, explorando alguns achados Megalíticos, como o Dólmen da Malhada de Cambarinho e o Afloramento Monumentalizado com o mesmo nome. (Este último só foi descoberto depois do incêndio de outubro de 2017 ter destruído o mato que o cobria.)

Depois de passarmos a aldeia de Covas, rumamos para Adsamo, aldeia típica, onde poderemos descobrir a nascente do rio Zela. Os mais afoitos podem subir ao vértice geodésico das Abas (cota 987m). O panorama compensa a subida, avistam-se as serras da Estrela, Açor, Gralheira e Montemuro. Sempre rodeados de grandes horizontes, descemos até à Capela de S. Mateus.

Características do percurso: Percurso com cerca de 11km, por caminhos rurais e de pé posto. Apenas a subida ao vértice geodésico das Abas apresenta dificuldade, mas é facultativa. Possibilidade de neutralização.

Lanche ajantarado: Antes de regressarmos a Lisboa faremos uma paragem na Quinta da Cavada, para aconchegar o estômago com um lanche ajantarado (incluído no preço), enquanto admiramos o panorama que se avista da quinta.

Cartografia: Folha nº 177 do IGE, 1/25000.

Recomendações: Não esquecer botas, agasalho e proteção para o sol e, eventualmente, para a chuva.

Alojamento: Pousada da Juventude das Termas de S. Pedro do Sul, em quartos para duas pessoas. A pousada tem roupa de cama e toalhas.

Partida: Às 7h00, sábado, de Entrecampos (na Av. 5 de outubro, por baixo da ponte do comboio).

Preço: 129€. O preço inclui o transporte de autocarro, uma noite na Pousada de Juventude das Termas de S. Pedro do Sul, o pequeno almoço e o lanche ajantarado na Quinta da Cavada.

Nota: Quem quiser um mapa da atividade, pode pedir na altura da inscrição (e custa 1€).